Arquivo de novembro 2010

Por quanto tempo devo contratar um estatístico ou Black-belt em um “projeto” CMMI?

Freqüentemente recebemos questões do tipo: por quanto tempo tenho que contratar um estatístico ou Black-belt (especialista  em Six Sigma) para atingir o nível 5 do CMMI? Isto é uma evidência clara do porquê é tão difícil e tão raro as organizações atingirem e principalmente sustentarem seus “reais” níveis de maturidade. Não estamos aqui recriminando a idéia de trabalhar iniciativas de melhoria e qualidade como um projeto. Todavia, tudo tem seu limite! As organizações precisam entender que a melhoria contínua é uma longa jornada de grandes desafios e enormes benefícios, mas somente para aquelas empresas que incorporam a jornada ao seu modo de fazer negócios (ou “DNA corporativo”). De volta à pergunta do estatístico ou Black-belt. Se sua organização entende que a inteligência quantitativa nos negócios (níveis 4 e 5 do CMMI) é um importante diferencial competitivo, a resposta é:  VOCÊ DEVE CONTRATÁ-LOS PARA SEMPRE!

Vejam uma animação sobre uma empresa Nível 5 do CMMI que pode ajudar na compreensão – ISDonlineTV


SEPG LA 2010

Estivemos presentes no evento SEPG Latin America 2010, realizado na Colômbia. Nossa apresentação realizada por Arthur Valle, instrutor oficial da ISD para CMMI-DEV e CMMI-SVC teve o tema “Achieving CMMI High Maturity Levels using Six Sigma methodology: a successful process improvement program in a Brazilian R&D organization”, que descreve o programa de melhoria Instituto Atlântico de Fortaleza, conduzido pela ISD Brasil. O uso intensivo de Six Sigma neste programa de CMMI Nível 5 e seus resultados tangíveis, são o destaque desta apresentação.

Na conferência deste ano, os assuntos que dominaram a pauta foram:

a) A implementação da nova versão 1.3 da família CMMI (DEV, SVC e ACQ). Para maiores informações, vejam nosso artigo “CMMI 1.3 – mudanças e impactos”.

b) Agile (Scrum, kanban, etc.) + CMMI , onde participamos de diversos eventos e debates sobre o assunto.

c) TSP e PSP

d) O estágio atual da implementação do CMMI-SVC. Vejam nosso post sobre o assunto e nosso vídeo (animação) no canal ISD TV.

e) A implementação dos modelos da familia CMMI em pequenas e médias (PMEs) empresas.

f) O uso e aplicação de ferramentas e automação de processos em programas de melhoria.


CMMI 1.3 – Análise de mudanças e impactos

CMMI 1.3 – Mudanças e Impactos

O SEI – Software Engineering Institute, instituto de pesquisa norte-americano de grande prestígio na área de tecnologia da informação e administrador do CMMI e seus produtos e serviços, vem anunciando nos últimos meses a chegada ao mercado da versão 1.3 do referido modelo, prevista para o novembro de 2010. Com isso, organizações do mundo inteiro que estão implementando programas de melhoria de processos baseados na versão 1.2 do CMMI, seja ele o DEV (desenvolvimento), o SVC (serviços) ou o ACQ (aquisição), necessitam iniciar seu planejamento no sentido de efetuar as alterações necessárias para adaptação à nova versão do popular modelo de melhores práticas.

A Integrated System Diagnostics Brasil (ISD Brasil), subsidiária da ISD Inc, um dos maiores parceiros do SEI em número de credenciais no mundo, seguindo sua política e seus valores de levar não somente a informação ao mercado, mas também prover uma apropriada análise e consequente conjunto de recomendações, preparou este artigo para que o mercado brasileiro envolvido com melhoria de processos possa planejar sua transição entre as versões do CMMI de maneira a minimizar quaisquer impactos possíveis e ainda usufruir dos eventuais benefícios da nova versão do modelo.

Clique aqui para fazer o download do texto completo.


Copyright © ISD Brasil. Todos os direitos reservados.